Bolsa de Estudos para Graduação na Austrália – Ciência sem Fronteiras
Jul17

Bolsa de Estudos para Graduação na Austrália – Ciência sem Fronteiras

O Programa Ciência sem Fronteiras (CsF) abriu o período para inscrições na modalidade graduação. No total, são 2,250 vagas abertas para 18 áreas do conhecimento científico e tecnológico na Austrália. Os estudantes interessados devem estar cursando a graduação. As bolsas para Graduação sanduíche são concedidas por meio das chamadas públicas, divulgadas periodicamente no site do Programa Ciências sem Fronteiras. Serão elegíveis os estudantes que tiverem mérito acadêmico – definido por Chamadas internas opcionais de cada Instituições de Educação Superior (IES) e no processo de homologação realizado pelo Coordenador CsF institucional, após as inscrições. Os candidatos devem possuir o nível de proficiência exigido no idioma pelas Chamadas, considerando que o nível exigido trata-se de uma média aceita por grande parte das instituições estrangeiras conveniadas e que o aluno, não necessariamente, terá direito a uma vaga em instituição específica. O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) também é requisito obrigatório. O estudante deve ter sido classificado com nota de no mínimo 600 pontos considerando os testes aplicados a partir de 2009. Serão elegíveis também os alunos participantes dos programas de Iniciação Científica e aqueles premiados em Olimpíadas de Matemática ou Ciências, Feiras Científicas e atividades similares, de mérito reconhecido.   Oportunidades na Austrália: ATN (Australian Technology Network of Universities) O ATN (Australian Technology Network of Universities) é uma aliança que reúne cinco universidades australianas que estão entre as melhores do país. As universidades do ATN focam em tecnologia, inovação e empreendedorismo. Sua excelente reputação entre os empregadores e a indústria gera resultados surpreendentes para seus formandos. Elas preparam seus estudantes para ingressar no mercado de trabalho, dedicando-se à busca do conhecimento e participam efetivamente na construção de uma sociedade mais sustentável para o futuro. Descubra aqui as universidades que fazem parte do grupo ATN e veja qual mais se adequa às suas necessidades. Universidades membros do ATN CURTIN UNIVERSITY [Perth] QUT (QUEENSLAND UNIVERSITY OF TECHNOLOGY) [Brisbane] RMIT UNIVERSITY [Melbourne] UNISA (UNIVERSITY OF SOUTH AUSTRALIA) [Adelaide] UTS (UNIVERSITY OF TECHNOLOGY SYDNEY) [Sydney] Em parceria com o CNPq a Australian Centre é a representante oficial das universidades membro do ATN (Australian Technology Network of Universities) no Brasil e auxiliará os bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras no processo de matricula. Para mais informações sobre as universidades acesse: http://www.australiancentre.com.br/site/australia/atn.asp Australian Centre A Australian Centre é a representante oficial das universidades do grupo Australian Technology Network of Universities no Brasil e auxiliará os bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras no processo de matricula, visto de estudante, passagem aérea, reserva de acomodação e orientação pré-embarque. Há 10 anos no mercado, a Australian Centre oferece serviço de assessoria qualificado e gratuito às pessoas interessadas em estudar na...

Read More
Gafe em rede Nacional – Do Baralho!
Jul16

Gafe em rede Nacional – Do Baralho!

Oi gente, tudo bom? A Austrália se classificou para a Copa do Mundo e o Brasil nunca esteve tão em pauta como antes. No dia da classificação um repórter, muito animado, resolveu dar uma aula de conhecimento sobre a língua falada no Brasil e algumas expressões básicas que todo mundo deve saber! Hahahaha!!! 😀 Preparem-se para gargalhar: Beijos e até mais...

Read More
Sydney terá protestos em solidariedade aos manifestantes de SP
Jun17

Sydney terá protestos em solidariedade aos manifestantes de SP

Oi gente, é com imenso orgulho que eu venho informar a vocês que Sydney também terá uma manifestação em apoio aos protestos que vêm ocorrendo no Brasil nessa última semana. A manifestação pacífica será amanhã, dia 18 de junho, as 17 horas em frente à fonte do Hyde Park. A noite de violência policial no centro de São Paulo nesta quinta-feira (13/06) ecoou ao redor do mundo. Brasileiros, em parceria com nativos de diversos países, prometem para a próxima terça-feira (18) um ato de repúdio à Polícia Militar e de solidariedade aos que sofreram algum tipo de agressão. Residentes de França, Alemanha, Portugal e Canadá estão entre os países que estão se organizando por meio do Facebook para uma manifestação chamada “democracia não tem fronteiras”. “Contra precariedade do transporte público e a política repressora do governo, por meio de ações violentas da polícia”, descreve a página oficial do movimento. “O povo de São Paulo, Rio e em algumas outras grandes cidades do Brasil tomou as ruas para protestar contra o que era algo aparentemente trivial no início, mas que acabou se tornando uma luta a favor de uma melhor qualidade de vida e igualdade no país”, afirmam os organizadores do evento na Alemanha. “Mesmo que tenhamos um oceano de distância, nós, brasileiros no exterior, queremos demonstrar nossa recusa em aceitar a violência militar contra os protestos democráticos no Brasil. Contra a repressão policial contra a barbárie dos governantes”, postaram os organizadores do evento no Facebook Aqui na página do Facebook vocês podem encontrar mais informações. (clique aqui) Vamos nessa? #VemPraRua você também! 🙂 Fonte: Revista...

Read More
Austrália é o país mais feliz do mundo, segundo OCDE
May31

Austrália é o país mais feliz do mundo, segundo OCDE

Oi gente, tudo bom? Eu já tinha falado sobre esse assunto nesse post aqui. Mas ontem eu li essa matéria da BBC Brasil e resolvi compartilhar com vocês. Segue abaixo matéria na íntegra: “A Austrália foi eleita pela terceira vez como o país mais feliz do mundo em um ranking da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico). O Brasil ficou em 33º lugar da lista – uma posição acima do resultado do ano anterior. O ranking compara os 34 membros da OCDE – na maioria nações desenvolvidas – e dois “parceiros-chave”: Brasil e Rússia. Suécia, Canadá, Noruega e Suíça vieram logo em seguida no ranking. A comparação foi feita com base em onze critérios, tais como renda, saúde, segurança e moradia. “A Austrália teve um desempenho excepcionalmente bom na medida de bem estar, como se pode ver pelo fato dela figurar entre os países melhor colocados em um grande número de tópicos do ‘Index da Vida Melhor'”, diz o relatório da OCDE. Mais de 73% dos 23 milhões de habitantes com idades entre 15 e 64 anos possuem um trabalho remunerado – o índice está acima da média dos países da organização. Além disso, a expectativa média de vida no país, de 82 anos, também é alta. Força da economia A economia australiana registrou mais de duas décadas de crescimento devido à demanda por seus recursos naturais. A nação também conseguiu passar ao largo da etapa mais difícil da crise financeira e foi o único grande país desenvolvido que conseguiu evitar a recessão global de 2009. Os países mais felizes do mundo Austrália Suécia Canadá Noruega Suíça EUA Dinamarca Holanda Islândia Grã-Bretanha A força econômica do país está se refletindo no dólar australiano, que atingiu os melhores patamares dos últimos 30 anos. Porém, o governo está começando a identificar alguns desafios ao crescimento, muitos deles relacionados à desaceleração da atividade mineradora e ao aumento do desemprego. Como resultado, o governo australiano tenta diminuir a dependência econômica do país em relação à mineração e desenvolver setores como o da construção e o da manufatura. Outro desafio a ser vencido é o atual aumento na disparidade de renda. De acordo com a OCDE, os 20% mais ricos do país recebem rendimentos seis vezes superiores aos 20% mais pobres do país.” Fonte: BBC...

Read More
Cebola Australiana
Apr10

Cebola Australiana

Oi gente, tudo bom? No próximo sábado irei no Outback Steak House pela primeira vez aqui na Austrália, para comemorar o aniversário de uma amiga. Já fui diversas vezes no Outback de São Paulo, mas não sei por que eu e meu marido nunca fomos no original Australiano. Com esse clima de festa e Outback em mente e aproveitando a sugestão do meu amigo San, hoje venho com uma receitinha deliciosa pra vocês, gordinha feelings total! 😉 Essa receita é do chef Erasmo Santana Santos, do Australiano Bar, em Santos. Ingredientes 1 cebola grande (a maior que encontrar) 1 litro de leite 2 ovos 500g de farinha de rosca 2 colheres de sobremesa de sal 2 colheres de sobremesa de pimenta caiena 2 colheres de sobremesa de pimenta do reino 2 colheres de sobremesa de tomilho Modo de preparo Pegue a maior cebola que encontrar. Corte fora o lado oposto ao da raiz em algum ponto entre a metade e 3/4 da cebola (quanto mais perto da metade, mais fácil fica). Descasque a cebola e corte fora a raiz, bem rente. Com uma faca grande, faça cortes perpendiculares, como numa pizza, mas ao invés de 8 pedaços, faça no mínimo 16 e idealmente 32 cortes. Tome cuidado para não atravessar a cebola, parando estes cortes cerca de 2 cm antes de chegar a base. Para deixá-la em forma de flor solte os gomos da cebola, abrindo-a (deixar por duas horas na geladeira pode ajudar nesse processo). Misture a farinha com o sal, as pimentas e o tomilho. Empane a cebola jogando esta farinha temperada em bastante quantidade para entrar entre os gomos da cebola. Retire o excesso. Mergulhe com o topo para baixo na mistura do leite e ovos e novamente acrescente farinha e retire o excesso. Está pronta para fritar. Em uma panela coloque óleo suficiente para submergir a cebola. Leve ao fogo alto. Com a ajuda de uma espumadeira, coloque a cebola com o topo para baixo e deixe fritar por 2 minutos. Gire-a e deixe fritar mais dois minutos, gire-a de novo e deixe mais 2 minutos. Retire-a. Seque-a com papel toalha, e coloque no prato. Prenda o centro com um garfo e, com uma faca afiada, retire o miolo. Para terminar, coloque no centro um potinho com seu molho preferido (molho rosé, maionese de alho ou ervas finas, por exemplo). Espero muito que vocês gostem dessa delícia Australiana! 🙂 Um beijão e até mais...

Read More
Do sol no Brasil para o sol na Austrália
Mar27

Do sol no Brasil para o sol na Austrália

Oi gente, vi essa matéria na Veja e achei muito informativa. Segue abaixo matéria na íntegra: “Quem errar essa resposta é filhote de canguru: qual é a capital da Austrália? Errou. Por que não saber um pouco mais sobre esse país que recebe tantos brasileiros, moradores e turistas, e é tão ensolarado quanto o nosso? A Austrália foi colonizada, a partir de 1780, pelos ingleses, povo de pele muito clara. Hoje, mais de dois séculos depois, a maioria da população tem pele bem branca. E a combinação desse tipo de pele com sol intenso resultou na maior incidência de câncer de pele do mundo. Achei interessante conversar com alguém que vive no país para contar um pouco como é estar debaixo de tanto sol. Desse jeito, podemos comparar a Austrália com a nossa realidade aqui no Brasil. Conversei com um amigo, Edilson Adib Antonio (o Beleza), um brasileiro que mora há 7 anos em Sydney, junto com a mulher Ursula e o filho pequeno Santiago. O assunto câncer de pele é muito comentado aí na Austrália? Bastante. Segundo as propagandas na TV, 2 em cada 3 pessoas vão ser diagnosticadas com câncer de pele quando estiverem na faixa dos 70 anos. Como são as campanhas de esclarecimento sobre câncer de pele na Austrália? São muitas ações de TV, campanhas na praia, cartazes em todos os locais públicos. Recebemos informações e dicas de proteção e prevenção no nosso dia a dia. E as crianças na escola também recebem informações. Você e sua família usam filtro solar no dia a dia? O uso de filtro solar é muito comum aqui na Austrália e se tornou uma coisa natural quando alguém sai de casa. Com minha família não é diferente: tenho um filho de 1 ano e 3 meses e antes de sair de casa o coitadinho já está todo brilhando. Usamos filtro com FPS 30, como a maioria das pessoas que conheço.  Que tipo de proteção solar você usa, além do filtro? Eu trabalho na rua, então preciso do kit completo: filtro solar, boné tipo legionário, óculos de sol e, muitas vezes, quando tenho que ficar várias horas exposto ao sol, uso uma camisa de manga comprida feita de um tecido leve, mas que protege do sol. Eu não tenho uma camisa especial com proteção UVA e UVB. Vocês recebem alguma orientação quanto à proteção solar do seu filho? Orientação direta não, mas ninguém aqui na Austrália pode dizer que não sabe sobre os problemas causados pelo sol, porque a quantidade de campanhas falando sobre a prevenção de câncer de pele é enorme. No primeiro dia de creche do meu filho nós...

Read More
Page 2 of 41234